quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Sem título 2

O menino olha a menina de longe e ensaia uma aproximação. Pára, olha, pensa... Retira do bolso um pedaço de papel amaçado e um toco de lápis. Encostado no tronco de uma arvore, o menino rabisca uma declaração de amor com sua caligarafia ruim. Olha novamente para a menina, as mãos trêmulas. Decidido, ainda que com medo, caminha em direção a ela. No caminho, arranca uma florzinha amarela do mato.
.
- Ó! É pra você.
.
O menino assim se faz presente.
O menino assim mostra que ama.
.
A menina olha, gagueja, tenta. Não consegue. A palavra não sai. Agradece apenas com um leve sorriso.
.
O menino se decepciona e vai embora, triste.
.
A menina sussurra, já sozinha: "eu também".

(Texto rabicado no mês de outubro, na última página de um livro.)

3 comentários:

♠♠คjคiяσи♠♠ disse...

putz......
muito bom ³³³³³³³³³
adorei texto e como foi colocado!
adoro textos simples e que dizem muito fazendo as pessoas pensarem..muito bonita a histórinha.

vou favoritar vc na minha pag!
bjaum moça!

Lex disse...

"- Ela vem, ela vai, ela corre,
ela chega.
Ela fica, ela volta, espera, foje outra vez.
Ela é móvel, ela é o vento, dinâmica, veloz.

...

E ele espera,
Aguarda.
Ele a vê, e sente inveja.
Mas espera, e ela demora.
E ele espera, espera.
...
Mas ela não volta.
...

Ainda assim ele espera.
Espera com a felicidade de quem sente saudade.
Espera com a tristeza de quem sente falta..."

um pedaço de mim também, para que não seja tão injusto...
:)

samuel rodrigues disse...

esse texto he muito bm
ele he de sua autoria?

comenta la no meu blog....
valeu!!!